quarta-feira, 17 de junho de 2015

NINHOS poemas e poemas ...































Inspirados nos poemas de Manoel de Barros, NINHOS poemas e poemas... são lembranças de uma infância singela, livre, entre flores de mato, banhos de chuva de pé na lama... acompanhado sempre de um cachorro vira lata. Um mundo de encantamentos, imaginação, invenção, liberdade!





























As camadas de tinta que fazem a textura desses poemas, têm cores que dão um novo significado para a existência. Tudo influencia nos desenhos e cores. A música, o silêncio, a gota d’água que cai nas folhas, o canto do passarinho torna-se fonte de inspiração que me permite criar asas e voar. De voar até fora das asas. 






























Esses poemas têm olhos que falam. Preenchem a lacuna que existe entre as palavras e as coisas, entre a linguagem e a realidade. Porque tem coisas que as palavras não conseguem dizer.
No ateliê habitado por plantas, insetos, ninhos abandonados, folhas secas, gaiolas abertas. Resquícios de um mundo natural. A mão reveste de mistério o real, e torna real o mistério.
As linhas do pincel sonham sonhos imaginados, sonhos de liberdade. Fazem poesias e não objetos. 




Imagens dizem coisas que não podem ser faladas. 
A arte profundamente ligada a vida. O tempo não é nem abstrato, nem metafísico; é existencial, simples, natural.









Esses Poemas, um canto para Manoel de Barros.
Fotografias de silêncios entre árvores, pássaros e ventos.
Sol de raios leves e macios, vestígios de um menino que fomos.
Falam de coisinhas à toa, fantasias e peraltagens.

De manhãs desabrochadas a pássaros, de água que corre livre entre pedras.


























Poemas... retratos da ternura, simplicidade e gratidão.

Utopia de um mundo irmão. 

sábado, 30 de novembro de 2013

Jô Cortez e Alice no País das Maravilhas - TV UFPB

"Se quiséssemos esboçar uma arquitetura conforme a estrutura de nossa alma..., seria necessário concebê-la à imagem do labirinto." Nietzsche
"Um labirinto de paredes moles entre os quais caminha, desliza o sonhador. E de um sonho para outro, o labirinto muda." Bachelard


quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Foi...


















“A infância é certamente maior que a realidade. (…) É no plano do devaneio, e não no plano dos fatos, que a infância permanece em nós viva e poeticamente útil. Por essa infância permanente, preservamos a poesia do passado.”
BACHELARD, Gaston. A Poética do Espaço.

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Alegres e Vivas !

Minha vida é obra de tapeçaria,
É tecida de cores alegres e vivas,
Que fazem contraste no meio das cores
Nubladas e tristes... (João Alexandre)

01 - vendida


02 - vendida


03 -


04 -


05 -


06 -


07 - vendida


08 -


09 -


10 -

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

A vida é colorida para quem tem arco-iris nos olhos

Era uma vez um abrigo de menores. Tudo bege, sem cor, sem vida... estivemos lá, e, junto com aquelas crianças sem esperança, juntamos forças e pintamos as paredes do abrigo. Elas ficaram felizes e pediram que voltássemos lá. Para mim, isso é fazer diferença, é se doar, se entregar ao necessitado, olhar com os olhos de Deus para quem sofre, e não apenas em um dia do ano... Isso faz diferença para sempre...




sexta-feira, 14 de dezembro de 2012